No dia 21/08 a professora nos deu uma triste noticia, a sua despedida (snif), mas mesmo assim marcamos um monte trabalhos, inclusive o da radio novela, ela nos deu uma tarefa para a casa, que era fazer uma reflexão sobre a tecnologia a partir da leitura do texto dos PCN's do Ensino Médio.

O tempo não para

A tecnologia é uma coisa que esta muito presente em nossas vidas e não dá para excluí-la. Ela nos trás praticidade, porém ao mesmo tempo ela provoca o distanciamento das pessoas e a exclusão.

A praticidade dela esta no fato de fazermos muitas coisas em questão de segundos e sem sair de casa, como por exemplo: fazer compras , cursos, negócios, questões pessoais. Entretanto essa praticidade dela faz com que as pessoas se distanciem uma das outras, fazendo com que desaprendam a fazer algo muito importante, que é o chamado “dialogo”. As relações pessoais estão mais “frias”, muitas delas acontecem na internet. Nesse ambiente o dialogo é mais livre, mas quando as pessoas próximas, essa espontaneidade  e dinâmica do dialogo já se torna mais difícil. Muitas pessoas jogam jogos de realidade virtual, e durante essa ação elas realmente vivenciam o que está acontecendo, mas da verdadeira realidade estão totalmente alienadas.

A tecnologia nos trouxe uma grande comodidade  e junto com ela veio a obesidade , pois devido a tecnologia as pessoas se tornaram totalmente sedentárias. As crianças estão chegando na escola sem a socialização primária necessária, e a pouca que é transmitida é por meio da televisão , que passa valores  e muitos deles carregados de preconceitos e que estão muito além da idade delas. Isso geralmente acontece, porque os adultos não percebem os valores transmitidos pelos programas de televisão.

Além de tudo isso, com a grande automatização faz com que os empregos diminuam , gerando o desemprego, e com ele maior a violência aumenta. Por isso que a escola deve desenvolver as competências básicas, tanto para o desenvolvimento do exercício da cidadania, do desempenho das atividades profissionais .É preciso garantir que todo as desenvolvam suas capacidades para não haver dualização da sociedade.

As pessoas  precisam sair da escola com a capacidade de abstração, do desenvolvimento do pensamento sistêmico, que é o inverso da compreensão fragmentada dos acontecimentos , da criatividade , curiosidade , da capacidade de pensar em muitas formas de resolução para o problema, ou seja, desenvolvimento de um pensamento divergente, da capacidade de trabalhar em grupo,  de aceitar criticas ,correr riscos, desenvolvimento de pensamento crítico, capacidade de se comunicar bem e pesquisar o conhecimento. Estas são as competências que devem estar presentes  na sociedade , pois elas possibilitam o exercício da cidadania em um contexto democrático.

Uma escola que acredita na memorização, na fragmentação do conhecimento e simplesmente ignora os instrumentos avançados na busca  do conhecimento estará se marginalizando. Ele pode ser construído de muitas formas , uma delas é usando o processamento de informação lógico- seqüencial, que é transmitido pela linguagem falada e escrita, com livros lidos ,filmes assistidos e musicas  ouvidas seqüencialmente.

Outra forma de processamento forma de processamento de informação é o hipertextual, que o conhecimento se constrói de uma forma seqüencial se ramificando por várias trilhas, isso ocorre  na leitura de livros e no decorrer dela também ocorre a busca do significado das palavras no dicionário ou na internet. E a ultima  forma de processamento é a multimídia que se compõe pelo agrupamento de pedaços de muitos textos das mais variadas linguagens  formando assim um mosaico. Um exemplo disso são os noticiários e os anúncios da internet. Mas para o professor saber usar todas essas formas de processamento da informação, principalmente a multimídia é preciso investir em sua formação  para que ele aprenda a lidar com os novos recursos.

Mesmo sendo difícil superar uma proposta curricular, é preciso incluir em um dos seus eixos as tendências apontadas para o século XXI . A ciência e a tecnologia estão muito fortes nas atividades produtivas e relações sociais sofrem mudanças rápidas que precisam ser levadas em consideração.

Nas sociedades tradicionais, a estabilidade da organização política produtiva e social assegurava  um ambiente escolar estável, mas atualmente , com o grande avanço cientifico, tecnológico e das transformação dos processos de produção torna o conhecimento ultrapassado , então é preciso uma atualização contínua  e colocando novas exigências para a formação do cidadão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 AVALIAÇÃO DA MATÉRIA

Eu nunca tive grandes dificuldades em relação a tecnologia, houve algumas dúvidas, mas que a senhora, como sempre muito atenciosa conseguiu sanar . Gosto muito da sua postura, porque a senhora exige , só que isso é feito de uma maneira que o aluno reflita, para não cometer o erro novamente.

Muitas vezes nossas aulas eram prejudicadas por conta da internet, mas mesmo assim a senhora não deixava a peteca cair, sempre teve algum truque na manga  para conseguir passar o que precisava. Seu 5 passos foi muito criativo, porque fugiu um pouco do "ler", e cada grupo trouxe um filme diferente com uma idéia também bem diferente , esse fato nos trouxe idéias maravilhosas que podemos trabalhar posteriormente na nossa profissão.

A forma de avaliação dos grupos das aprensentações eu tamém achei muito interessante, porque muitas vezes quando a intervenção é realizada no ato da apresentação, dependendo de como ela for, o aluno já  "perde o rebolado"naquele momento, então o fato da senhora conversar com os grupos depois da avaliação nos ajuda, porque não vamos apresentar com aquele medo de passar vexame perto dos outros.

Não tenho nada de mal para falar sobre a senhora, para mim tudo está otimo, eu tive alguns tropeços , mas a culpa não é sua,de repente precisaria de um pouco mais de tempo ara entender ou mais atividades.

 Auto-avaliação

Esse semestre na sua disciplina, tive alguns tropeções, mas também tive grandes avanços.

Quando foi proposto o blog para os diários de aula ao invés do caderno, fiquei um pouco supresa, pelo fato de ser uma experiência tão diferente, porque eu nunca pensei em ter um blog. Enquanto a isso não tive dificuldade nenhuma, porque eu sabia entrar e postar, a única dúvida em relação ao blog que tive foi a colocação dos videos e para colocá-lo na pasta, onde estão os outros blogs. Por mais problemas que tivemos no laboratório por causa da internet, isso não afetou em nada o meu relacionamento com o blog. Gostei muita da aula que a senhora ensinou a manusear o power point, porque é uma ferramenta tão útil e eu não sabia mexer. Outra coisa que gostei muito também de aprender foi a colocação de giffs no Blog e no power- point, porque as vezes quando olhava o blog, sentia que ele estava sem graça e agora não, pois ele está mais convidativo que antes, e algumas vezes recebo comentarios de outras pessoas também e isso me deixa muito feliz.

Em relação ao texto do Moran, eu já tive uma certa dificuldade para entender, precisei ler muito, prestar atenção na senhora explicando, mas mesmo fui mal na prova, isso me deixou tão angustiada, porque eu tinha a impressão de estar passando uma imagem que não é a minha, porque sempre fui uma boa aluna, pois sempre entreguei todos os trabalhos em dia e muito bem feitos, ou seja, a responsabilidade que tenho com a Faculdade é muito grande. Quando foi passado por e- mail a correção, foi o momento que eu entendi a matéria e isso foi refletido na apresentação do trabalho, que me superei, me senti aliviada por estar passando a minha verdadeira imagem, que é a de boa aluna.

Por isso devido os deslizes que infelizmente cometi eu acredito que mereço um 7.0, porque sempre entreguei todos os meus trabalhos nas datas corretas,  porque deixo meu blog atualizado e tenho a iniciativa de acrescentar outras coisas também, como é o caso dos vídeos.

anexo

Inclusão

Edição Especial | Agosto 2007

Recursos para a educação inclusiva

Para quem não enxerga ou não consegue se movimentar, equipamentos, objetos e brinquedos inclusivos possibilitam um aprendizado mais fácil

Meire Cavalcante (novaescola@atleitor.com.br) type="text/javascript">

A criança chega à escola sem falar ou mexer braços e pernas. É possível ensiná-la a ler, por exemplo? Sim, e na sala regular. Para quem tem deficiência, existe a tecnologia assistiva, composta de recursos que auxiliam na comunicação, no aprendizado e nas tarefas diárias.
As chamadas altas tecnologias são, por exemplo, livros falados, softwares ou teclados e mouses diferenciados. "Existem recursos para comandar o computador por meio de movimentos da cabeça, o que ajuda quem tem lesão medular e não move as mãos", afirma a fisioterapeuta Rita Bersch, diretora do Centro Especializado em Desenvolvimento Infantil, em Porto Alegre, onde as crianças que aparecem nesta reportagem são atendidas. Já as baixas tecnologias são adaptações simples, feitas em materiais como tesoura, lápis ou colher. 

Com o mesmo intuito de promover a inclusão, há brinquedos que divertem crianças com e sem deficiência. Os mostrados aqui foram feitos por alunos de Arquitetura da Universidade Federal de Santa Catarina. Já os livros táteis são do Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual, de Florianópolis. O educador da classe regular pode procurar esses materiais na sala de atendimento educacional especializado (a sala de apoio). "Nela, o professor especializado oferece recursos e serviços que promovem o acesso do aluno ao conhecimento escolar. Por isso, o diálogo entre os dois profissionais é fundamental", afirma Rosângela Machado, coordenadora de Educação Especial do município de Florianópolis. Confira alguns materiais que podem favorecer a aprendizagem da sua turma.

 
 

TECLADO VERSÁTIL

Matheus Levien Leal, 10 anos, está na 4a série e tem paralisia cerebral e baixa visão. Ele usa um teclado com várias lâminas, trocadas de acordo com a atividade. A de escrita, por exemplo, tem cores contrastantes e letras grandes. O equipamento é programado para ajustar o intervalo entre os toques, evitando erros causados por movimentos involuntários.

 

DIGITAÇÃO SEM ERROS

O suporte, colocado sobre o teclado, chama-se colméia. Ele impede que o estudante com dificuldade motora pressione a tecla errada. 

 

 

 

NUM PISCAR DE OLHOS

O acionador faz a função do clique do mouse e pode ser ativado ao bater ou fechar a mão, puxar um cordão, piscar, soprar, sugar... O aparato pode ser colocado em qualquer parte do corpo do aluno. Com ele, é possível acessar livros virtuais, brincar com jogos e até digitar, usando um teclado virtual.

 

 

 

 

JOGOS COLORIDOS

João Vicente Fiorentini, 10 anos, tem deficiência física e está na2a série. Por causa da dificuldade de segurar o lápis, ele usa materiais adaptados e aprende a escrever com jogos feitos de tampinhas e cartões plastificados. O material permite a João ainda relacionar cores e quantidades.

REFERÊNCIA

 

MEIRE CAVALCANTE. Recursos para uma educação inclusiva. Revista Nova Escola., São Paulo, Edição Especial, 8, 2007. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/inclusao/educacao-especial/aprendizado-mais-facil-424764.shtml. Acesso em: 25 de maio de 2009

 

comentário do anexo

 

A tecnologia assistiva, serve para auxiliar crianças com uma série de deficiências nas tarefas diárias, para isso existe a chamada Alta tecnologia, algumas delas são os livros falados, softwares ou teclados ou mouses diferenciados, e também existe a Baixa Tecnologia, que são aquelas feitas com os materiais mais simples.

Achei muito interessante o Teclado versátil, que serve para crianças com dificuldades de visão, por causa de suas cores chamativas e suas grandes letras, e o mais legal é que ele é ajustado para ter um espaço entre os toques, para evitar os erros de digitação.

Outro material que pode ser colocado em cima do teclado para evitar os erros de digitação é a colméia, porque esse suporte auxílía as crianças que têm dificuldades motoras.

Outro equipamento que pode nos auxiliar muito é o acionador que faz as mesmas coisas que um mouse,mas com qualquer ação do aluno. Com ele a criança poderá acessar  livros virtuais, jogos, e até digitar, utilizando um teclado virtual.

Uma atividade de baixa tecnologia , porém muito boa, são as letras móveis  feitas com tampinhas e elas são colocadas em uma prancheta, que tem  a figura da palavra que deve ser escrita, os buraquinhos, que representam o número de letras.

Então o professor não deve fechar os olhos para as novas tecnologias, porque elas nos auxiliam muito na prática, principalmente hoje em dia que a inclusão está em alta, porque além de ajudar o professor torna mais simples o aprendizado  dessas crianças.

 

 

22/5 Nesse dia ainda foi continuação das apresentações

O primeiro grupo a se apresentar foi o 8. O nome do projeto deles era Escrita como transformação do meio social , baseado no filme escritores da liberdade. O projeto era destinado aos estudantes do Ensino Médio.

A justificativa do projeto, era a por causa da ificuldade que o jevem tem em elaborar uma redação clara o objetiva, então uma das ativividade seria elaborar uma redação que relacionasse o filme.

Os objetivos eram :

Levar o adolescente a refletir o meio social e cultural por meio da literatura.

Desenvolver a habilidade de escrita e interpretação de texto

Transpor a linguagem audio-visual para a escrita

Fazer pesquisas sobre obras literárias que abordem problemas sociais

Procução de texto

Oralidade e escrita

Procedimentos:

Produzir um diário virtual, assistir ao filme , socialização, pesquisar obras literárias ,apresentação de seminários e exposição de cartazes.

Recursos:

Filmes , livros de literatura , internet , DVD, televisão e o diário.

Avaliação:

O aluno será avaliado pela produção textual, anotações no blog, interação, pesquisa do grupo e avaliação.

Duração: 1 mês

Grupo 11

Este grupo apresentou o projeto sobre relações familiares, com base no filme A pequena miss sunshine.

 

Justi

O público alvo eram crianças de quinto e sexto anosdo Ensino Fundamental II

 

Jusficativa : É que  o aluno  já percebe as caracteríesticas comuns aos personagens da história,  a linguagem moderna, e já consegue fazer conexões do tema com a realidade.

Objetivos:

Remeter o emocional

Proporcionar análise das nossas relações.

Promover discussão e inter-relação.

Refletir a ditadura da estética.

Conscientizar o adolescente do seu papel na sociedade.

Habilidades e Conteúdos

Propor discussão e e interpretação dos temas abordados pelo filme;

Fazer relações e julgamentos;

Trabalhar temas transversais;

Interdisciplinaridade;

Conscientizar o adolescente do seu papel na sociedade;

Estratégia para processamento de informação lógico-sequencial, hipertextual e mútimidico ;

Procedimentos

O professor assistir filme, passar para os alunos, discussão e análise prévia dos temas, pesquisar música, roda de conversa  e confecção de comerciais.

Recursos:

Recursos Humanos, lugar pré- estabelecidopelos alunos para passar o filme, DVD e Data show.

Forma de avaliação:

Nível de comprometimento dos professores e alunos;

Observação do desenvolvimento e do conhecimento;

Reformulações de pensamentos em mais amplos e profundos.

Duração : dois meses e meio

E no Final do trabalho o grupo deixou uma frase que estava escrita da seguinte maneira: "O trabalho em grupo é um exercicío de tolerância.

Grupo 6 : As guerreiras.

Elas fizeram uma pequena introdução baseada no texto de Moran. Nela dizia que o professores têm que unir todas as dimensões para formar cidadãos que sejam capazes de mudar a sociedade. O professor precisa estimular isso nos alunos para que eles se sintam motivados. Para isso o professor tem que se atualizar sem, para saber usar os novos recursos na prática.

O filme apresentado foi o Wall-e, que era base do projeto Cuidando do nosso planeta.

Público- alvo: Seríes iniciais do Ensino Fundamental;

Justificativa: Preocupação com o descarte desordenado de lixo no plantea, que é um problemamuito grave, por isso que devemos conscientizar os alunos sobre a separação do lixo.

Objetivos:

Incentivar a preservação do meio ambiente;

Informar a respeito do impacto do lixo na natureza;

Iniciar a prática da reciclagem;

Reutilizar e reduzir o lixo;

Conteúdos e habilidades

Preservação do meio ambiente;

Problemas ambientais;

Reciclagem;

Cooperação;

Respeito ao outro e a natureza;

Procedimentos

O processamento de informação lógico- sequencial será usado na exibição do filme Wall-e, leitura de livros e jornais.

O processamento de informação Hipertextual e múltimidico será usado na roda de conversa, pesquisa na internet sobre o assunto e na produção de texto.

Procedimentos:

Confecção de cartazes;

Construção de brinquedos e maquetes;

Exposição dos trabalhos;

Ter uma parceria com uma empresa que retira o material reciclável;

Fazer um passeio ao Parque Salvador  Arena;

Recursos:

Aparelho de DvD, TV , material de pesquisa como: livros, revistas , materiais escolares, materiais recicláveis e laboratório de Informática.

Avaliação:

Será avaliada o processo , por meio da observação e registro.

Duração: 1 mês

Grupo 7

O projeto deles chamado Drogas! melhor não entrar, mas se entrar tem como sair, era baseado no Filme Meu nome não é Johnny.

Público- alvo: A partir do sexto ano do Ensino Fundamental.

Justificativa: Ajudar os jovens a passar pelos conflitos da adolescência sem precisar usar drogas, apresentando pessoas que passam pelo esse problema das drogas.

Objetivos:

Mostrar conseuqencias do consumo de drogas;

Consientizar os jovens de sua escolha;

Inclusão;

Trabalhar auto-estima;

Conteúdos e habilidades:

Em  Português os alunos serão avaliados pela produção de texto, em ciências será trabalhado o meio ambiente, em história será trabalhado como a droga é usada na hierarquia, em Filosofia será trabalhado a descoberta do "Eu", em Sociologia será trabalhado a influencia do meio que reflitirá na família, em Artes será trabalhado a importância do cinema brasileiro e por fim em informática será trabalhado a realização de pesquisas na internet.

Procedimentos :

O processamento de Informação Lógico-Sequencial é efeito por meio da linguagem falada e escrita, exposiçaodo filme, rodas de conversa ,palestras, Trabalhos feitos em sala de aula , exposicões e feiras para a vistação de familiares e amigos.

Recursos:Serão usados ao longo desse projeto o Data Show , DVD, o Filme Meu nome não é Johnny, internet, jornais e revistas.

Avaliação: Será processual, para ela se realizar de uma forma construtivista.

Duração: 1 mês.

Grupo 10 apresentou o projeto chamado Integração, valorização familiar em apenas um click, baseado no filme Click.

O público- alvo são crianças da quarta seríe.

Justificativa: Sensibilizar o individuo a refletir.

Objetivo: Valorizar a integração com a família.

Conteúdos e habilidades: A forma de processamento de informação lógico- sequencial será trabalhado na exibição do filme, a hipertextual  será trabalhada na pesquisa da biografia das personagens, no levantamento da evolução da tecnologia.

Procedimentos: Exibição do filme Click para a sensibilização das relações sociais, debate dos principais fatos, socialização da produção textual ,dramatização e roda de conversa.

Recursos: Recursos humanos que são os professores, pais, DVD , Data Show e livros.

Avaliação: Ela será processual por meio da observação do andar do projeto.

Duração: 1 mês em dias alternados.

Grupo 12 apresentou o Projeto corrente do bem, que leva o mesmo título do filme que foi a inspiração dele.

Público-alvo: Ensino Fundamental I, equipe escolar e sociedade.

Justificativa: Conscientizar dos direitos de cada um para resgatar valores , o amor ao próximo e ética para formar um cidadão.

Objetivos: Resgatar valores sociais esquecidos;

Desenvolver o projeto social para ajudar as famílias carentes;

Trazer o uso de boas expressões;

Unir todos e respeitá-los;

Conteúdos e habilidades:

Elaboração de texto e cartazes sobre valores éticos e respeito ao próximo;

Procedimentos:

Apresentação do filme, vídeos de temas similares, arrecadação de objetos e mantimentos para as famílias carentes.

Recursos:

Palestras , vídeos , formação de equipes para fazer a assistência as comunidades.

Avaliação: Ela será construtivista e terá um grande peso nas considerações finais sobre o projeto.

Duração : 1 semestre.

Grupo 5 trabalhou em cima da família do futuro, que por sinal o projeto também leva o mesmo nome.

Público- alvo: Ensino Fundamental I.

Justificativa: Desenvolver habilidades de leitura, interpretação  e pesquisa;

Mostrar que apesar da vida , das tenologias a família continua sendo base do ser humano.

Objetivos:

Lógico - sequencial: Enumerar cenas marcantes, Compapar os modelos de famílias com o do filme e escrever texto de diferentes genêros.

Hipertextual: Fazer dinâmica com a turma, comparar o modelo familiar com a do filme, confeccionar objetos da máquina do tempo, identificar pontos de referência do bairro e confeccionar a linha do tempo das diferenças de idade entre as crianças.

Conteúdos: Eles serão trabalahdos por meio da interdisciplinaridade com as matérias: Português, Educação Física, Ciências, Geografia, História e Matemática.

Recursos:  Data Show, Cavalete, Material Escolar, sala de Informática e auditório.

Avaliação: Ela será diagnóstica, formativa e somativa.

Duração : Tempo indeterminado, pois dependerá do andamento do projeto.

A partir daqui as apresentações serão referentes ao pessoal de adaptação, começando pela Angélica que apresentou o projeto Convivendo com as diferenças , baseado no filme procurando o Memo.

Público- Alvo: Ensino Fundamental II , com crianças de 11 a 12 anos.

Justificativa: A necessidade de desenvolver o valor da amizade e o respeito para com as diferenças dos outros, trabalhar ética e cidadania entre eles e explicar que todos nós temos direito de ir e vir e que isso não depende da capacidade física.

Objetivos:  Mostrar aos alunos que cada um tem suas limitações;

Percepção das deficiências do outro;

Respeitar e compreender as diferenças em geral.

Habilidades:

Aceitar a própria limitação;

Relação sócio- afetiva : respeito pelo amigo;

Procedimentos:

Assistir ao filme "Procurando o Memo";

Produção textual;

Dinâmica do amigo com deficiência visual;

Roda de conversa ( O professor terá como objetivo saber se os alunos aprenderam o que foi passado e o que os alunos podem fazer para melhorar).

Recursos:

DVD, Livros e pesquisas.

Avaliação: Será avaliada a participação do aluno, as produções de textos , atividades feitas em sala de aula.

Duração:

Aproximadamente 15 dias ,em aulas de 50 minutos.

A outra aluna a apresentar o projeto chamado Universo a nosso alcance, baseado no filme Galinha Chicken Little foi a Danilla Lopes Ragazzo. Essa projeto trabalhava as áreas de conhecimentos como: natureza, sociedade, linguagem oral e escita.

Público- alvo: esse projeto é detisnado a crianças de 4 anos.

Duração: 1 ano.

Justificativa: Trabalhar astrônomia por está inserida na realidade da criança.

Objetivos:

Munir as crianças de conhecimentos a respeito da Astronomia e do Universo;

Despertar o interesse.

Conteúdos Procedimentais e atitudinais:

Incentivar a observação;

Reconhecer a profissão do cientista;

Apoiar a preservação e o processo dos recursos naturais.

Procedimentos:

Exibição do filme que é a base do projeto;

pesquisas;

Entrevistar cientistas para buscar as explicações necessárias;

Viagem ao espaço , que consiste na observação do univeros com fotos;

Olhando para o céu, que cinsiste nao confecção do telescópio de sucataConhecer o Sistema solar, por meio de maquetes;

Do espaço a Terra , para estudar os impactos ambientais;

Nossa posição, é o momento em que o professora vai saber o que as crianças aprenderam para depois aplicar nas aulas;

Fazer Manifesto, confeccionando sacolas que será entregue aos pais e divulgando o manifesto também no site e blog da escola.

Recursos:

Aparelhos eletrônicos, materiais de registros e pesquisas.

Avaliação:

Será avaliada o processo como um todo, por meio da observação, registro e relatórios coletivos.

Após as apresentações, a professora pediu com muita gentileza para o pessoal que não apresentou se retirar da sala, para conversar com os grupos mais a vontade. Muitos foram embora e outros ficaram como eu, para tirar as dúvidas em relação ao blog e ajudar os outros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

texto

comentario

http://www.youtube.com/watch?v=Us-TVg40ExM

TEXTO DO BOM

 

           

“Globalização e Qualidade de Vida”

 

Mário Sérgio Cortella

filósofo e doutor em Educação, docente da PUC – SP

 

            ...Como era a sala da minha casa em Londrina, há 30 anos? Num canto tinha uma mesa com cadeiras em volta e nela fazíamos uma coisa inacreditável na hora do almoço: almoçávamos juntos, pais e filhos. No fundo tinha um guarda-comida, um armário onde minha mãe guardava tudo o que ela tinha ganho no casamento para usar num dia especial, que nunca chegou: mas guardava, e com o tempo foi sendo distribuído para filhos e netos. Na sala tinha uma área de circulação para chegar na cozinha e num cantinho havia um altarzinho com a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Havia ainda quatro poltronas. Por incrível que pareça, uma de frente para a outra de maneira que as pessoas, quando sentassem, pudessem fazer uma coisa antiga, que era se  ver. E sabem o que fazíamos em casa, à noite? Só quem é idoso como eu vai saber. Sabem o que fazíamos? Conversávamos! Conversavam pais com filhos, vinham os parentes. Vizinho era bem-vindo. Alguém se lembra desse tempo em que vizinho era bem-vindo? Ele vinha, trazia um bolo, conversava. Tinha que tomar café, comer um bolo, uma tapioca, o que fosse.

            Um dia, há 30 anos, numa sexta-feira à tarde, tocou a buzina do jipe como meu pai fazia todo dia no fim da tarde (no Paraná se usava jipe na época, jipe de capota de lona) e nós, os filhos, saímos correndo e fomos lá para ver. Dentro tinha uma caixa grandona. Ele tirou a caixa e a colocou em cima da mesa da sala. Abriu e dentro tinha um aparelho de televisão Telefunken, preto e branco, à válvula, com os pezinhos de madeira. A partir desse dia, nossa vida mudou. Primeira modificação: saiu a imagem de Nossa Senhora Aparecida e em seu lugar entrou a Telefunken. Segunda modificação: as poltronas mudaram de lugar, ficaram todas de frente para aquilo. Terceira modificação: nunca mais nós conversamos. Aliás, nem podia. Pensamos estar ligando a televisão? A televisão é que nos liga. Todo dia à noite, 80 milhões de pessoas estão paradas defronte a um aparelho de TV, olhando, com um jornal no colo, um prato ou um tricô no colo, todas de boca aberta. De repente faz plim-plim e levanta-se o jornal, pega o prato e sai. Aí faz plim-plim de novo, volta e fica ali até dormir. E se alguém resolve conversar? Não pode. Aí o filho fala: “Sabe, pai, hoje eu...”.”Psiu, fica quieto. Você não está vendo que eu estou vendo o noticiário?”. O sujeito quer saber de notícia que está acontecendo lá na Indochina, e não faz a mínima questão de saber o que está acontecendo à sua volta. “Olha, mãe, eu queria...”.”Psiu, estou vendo a novela. Trabalho o dia inteiro, já estou por aqui. Agora você fica falando comigo?”. Se o vizinho chegar é um inferno! Sabe por quê? Porque vai atrapalhar aquele nosso imenso ato de convivência, que é ficar 5 ou 6 horas de boca aberta, olhando para um aparelho. Tem gente que nem desliga a televisão quando chega uma visita. Aí fica aquela coisa horrorosa, olho na TV e olho na visita; depois de dez minutos ela também está assistindo televisão.

            O erro está na televisão? Não. Televisão é uma coisa maravilhosa, informa, distrai. O erro está na tecnologia que nos faz correr? Não. O erro está na concepção, no modo como entendemos a qualidade de nossa existência. Não são apenas os idosos que vivem assim. São gerações que estão vivendo desse modo, sem que a gente dê uma parada e fale basta. Tecnologia é ferramenta, não é finalidade. Aparelho eletrônico é para melhorar a vida coletiva, e não para isolar as pessoas cada vez mais. Por que o idoso se dedica muito a assistir televisão? Porque não tem o convívio e aí tem que se limitar a ela. O grande escritor Fernando Sabino dizia que a televisão é o “chiclete dos olhos”. Mesmo quando já se perdeu o sabor, continua sendo mastigado. As pessoas dizem: a televisão e o rádio são modos de fazer companhia. Isso é necessário em uma sociedade que tem milhões de pessoas? Para se sentir acompanhado, precisa-se de uma coisa eletrônica, que é ótima, mas que não precisaria ter essa função?

            Mais outro exemplo. Para quem mora em cidade grande e se lembra como era uma casa de classe média, ou de gente pobre com recursos mínimos, há 30 anos? A casa tinha na frente uma sala. O que tinha na sala? Sofá, às vezes uma TV, aparelho de som, radiola, vitrola, e em alguns lugares, até um móvel que tinha bar com espelho. No fundo havia vários quartos. O que tinha dentro do quarto? Um guarda-roupa e uma cama. No fim da tarde, lá pelas sete horas, alguém passava pela sala, ia até o quarto, trocava de roupa, punha um chinelo, uma bermuda ou um vestido mais leve, e voltava para a sala. Outros chegavam, iam para o quarto e voltavam para a sala. O que acontecia na sala? Uma coisa milagrosa, uma coisa chamada convivência, um viver junto. Hoje, a tecnologia avançou e barateou tanto que o que é que se tem na sala? A sala. E o que mais tem na casa? Tocas, tocas e tocas. O que se tem em cada toca, que antigamente era um quarto? Um aparelho de TV, às vezes um aparelho de som, um micro system. A pessoa chega do trabalho, seis ou sete horas da noite, passa pela sala, vai para a toca e fica. O outro passa, vai para a toca e fica. Mais outro passa, vai para a toca e fica. Quando essa família se encontra? Antigamente, ela se encontraria na hora da refeição, porque para esquentar a comida toda de uma vez só tinha que se juntar. Com microondas, cada um come na hora que quiser e, de preferência, na toca. Essa família não se encontra? No final de semana, na viagem, no casamento ou no batizado. Aí ela “quebra o pau”, porque não mais se conhece.

           

 

Primeira remessa de apresentação dos grupos ( 8/5)

 grupo 2 - Voando para casa
- grupo 3 - Lucas, um intruso no formigueiro
- grupo 4 - A família do futuro
- grupo 9 - A lenda de Despereaux
- grupo 1 - Happy Feet
- grupo 11 - Miss Sunshinne

correção da prova

 

1- Analise o Projeto da Reportagem anterior e responda se encontram-se presentes nas atividades desenvolvidas pelos alunos os três  tipos de processamento de informação descritos por Moran: (1,5)
 
w1ª série: lógico-sequencial: usa a imagem falada e a escrita quando apresenta o vídeo para a turma e quando lê os livros para os alunos;
w2ª série: lógico-sequencial: o vídeo foi apresentado aos alunos. Produção de texto, confecção de personagens;
w3ª série: lógico-sequencial: linguagem falada e escrita, vídeo e confecção dos guardiões do Castelo usando sucata.
w4ª série: lógico-sequencial: linguagem falada e escrita, vídeo. Hipertextual: aprender sobre os planetas confeccionando uma maquete. Trazer do vídeo outras contribuições que não seja o tema central.
w5ª série: lógico-sequencial: linguagem falada e escrita, vídeo e debate sobre a adaptação do vídeo para adolescentes.
w6º e 7º séries: Hipertextual: procurar a biografia de um dos personagens do vídeo. Lógico-sequencial: vídeo e debate.
 
2- Moran apresenta em seu texto propostas de utilização da televisão e do vídeo na educação, relacione-as com as atividades desenvolvidas pelos alunos no Projeto da Reportagem anterior (1,5):
 
Acredito que os filmes foram usados como sensibilização, pois são filmes que abriram caminho para novos assuntos e para novos temas, o que fez com que os alunos aprofundassem no assunto por meio de pesquisas, confecção de projetos e atividades e etc.
Também foram usados como ilustração, pois situaram os alunos no Sistema Solar, por meio do filme Castelo Ra-Tim-Bum e no cenário da metade do século XIX, por meio do filme Mauá, o Imperador e o Rei, fazendo com que os alunos conhecessem as músicas da época, a moda, etc.
O filem como simulação também foi utilizado, pois no Castelo Ra-Tim-Bum um fato importante era o alinhamento de todos os planetas.
O filme como conteúdo de ensino, pois por meio dele as crianças realizaram várias atividades e aprofundaram em temas como o Sistema Solar – Ciências, estimativas – Matemática, etc.

questões em grupo sobre o texto de Moran

 

1)O que é educação de qualidade?

Segundo Moran a educação de qualidade é aquela que prepara o aluno para ser um cidadão(que saiba viver em sociedade)que interfira positivamente no meio em que vive.

2)quais as maiores dificuldades para mudar a educação?

Conforme o autor as mudanças demorarão a ocorrer porque nos encontramos em processos desiguais de aprendizagem,evolução social e pessoal.

A educação ideal deve ser: aprendizagem integradora(teoria e prática).

As maiores dificuldades são: Falta de amadurecimento intelectual e emocional(pais e educadores).A Falta de motivação dos professores,alunos,diretores(precisamos de pessoas mais abertas que entendam todas as dimensões que estão envolvidas no processo pedagógico. Transformar o professor autoritário em humilde.

3)Como deve ser o educador?

José Manuel Moran traz que o educador deve ser humilde e confiante ,que embora seja alguém que saiba,deve estar aberto ao novo. Um educador que mostre para o aluno a complexidade do aprender,a nossa ignorância,as nossas dificuldades e que ensine valorizando as dificuldades e que ensine valorizando as diferenças,aceitando o provisório.

4)Caracterize e dê um exemplo para cada tipo de processamento de informação:

a)Lógico-sequencial:È expresso pela linguagem falada e escrita,que construímos aos poucos,em seqüência espacial ou temporal.

b)Hipertextual:São assuntos que interconectam e com isso leva a novos significados e acaba se espalhando nas ramificações de significados diversos,ex:Contando Histórias,relatando situações que se interconectam.

c)Multimídia :È quando juntamos muitas informações de diversas fontes e que ao ser usado formam uma espécie de mosaico.EX:Debate.

5)Como o educador deve lidar com esses três tipos de processamentos de informações com seus alunos.?

O professor deve lidar com o aluno de forma que  torne autônomo para a escolha de informações (porque se tem muitas ).O aluno precisa saber o que deve ser descartado ou usado.

A melhor forma de se aprender é realmente na prática por que só a fala não adianta.O aprendizado acontece quando unimos a prática,a teoria,o sensorial,racional,emocional,ética,o pessoal e o social.

A interação tambem é muito importante para que haja um conflito pelo que ele sabe com o que o outro sabe.

 

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]

O que é isto?
Visitante número: